domingo, 2 de março de 2008

Depoimentos de tricolores no ano do centenário

Em homenagem ao centenário do Fluminense, o jornal Lance! reuniu uma série de depoimentos de tricolores ilustres.

CHACAL
Poeta, produtor de eventos e tricolor

'Sou tricolor desde antes de nascer'

“Visto a camisa e o gorro tricolor para escrever essas linhas. Assoviando o hino, digo que sou tricolor antes de nascer... Ser tricolor para mim, é mais que uma opção. É um presente do destino, um estilo de vida elegante. Não a elegância que a grana ou a posição social possam trazer, mas a nobreza que vem da arte de viver a vida se sabendo tricolor, sabendo que o vermelho e o verde das três cores o permitem viver em profundidade, como se olhasse através de um óculos em 3D e o branco lhe trouxesse a paz de saber viver a vida como ela é: tricolor da cabeça aos pés. Ave Nelson !!! Salve, salve meu Flu centurião!!!!!!!”


Noca da Portela
Compositor de sambas e tricolor

‘Ainda me emociono quando vejo o Flu’

“Eu tenho o maior orgulho de dizer que sou tricolor. Sou como o saudoso Mário Lago, tricolor e comunista, e faço questão de mostrar isso. Aliás, o mundo do samba é cheio de tricolores. Paulo da Portela e Cartola eram tricolores de faltar ao samba para ver o Flu. E, graças a Deus, posso dizer que sou um homem feliz. Meu pai, flamenguista, me levou pela primeira vez a um Fla-Flu, em 1938, nas Laranjeiras. Metemos três ou quatro neles (foi 3 a 0) e de lá pra cá só comemoro. Cansei de ver Castilho jogar, a Máquina e a turma do Casal 20 então, nem se fala. Era ir para o Maraca com a certeza da vitória. Eu até hoje me emociono quando vejo o Fluminense joga”


FAUSTO FAWCETT
Cantor, compositor, escritor e tricolor

'Cada jogo, um espetáculo à parte'

“Cada jogo do Fluminense é um espetáculo à parte que, me desculpe Leonardo da Vinci, nem a Mona Lisa consegue chegar aos pés da grandiosidade dessa obras de arte. Torcer para o Fluminense é poder ter um sentimento de eternidade que só os Césares e Augustos podiam experimentar – e que nós, tricolores, estamos saboreando especialmente nesta data.”

Ivan Lins
Cantor e Tricolor

'O mais carioca dos clubes cariocas'

“Eu tinha sete anos, morava de frente para a Praia de Icaraí. Não tinha time e no meu prédio só tinha tricolor. Mas havia um menino mais velho, irmão do namorado da minha irmã, que batia nos mais novos, fez pressão e me fez ser Vasco. Ele roubava minha pipa, minhas bolinhas de gude. Ninguém me defendia, era "briga de vascaínos". E no colégio ainda me diziam que eu era Fluminense, pois morava no Estado do Rio. Cansei. Um dia, cheguei ao colégio e perguntei: "Posso virar Fluminense?" Fui carregado nos ombros e ouvi a frase do alívio. "Agora, aquele menino nunca mais te encosta a mão". Eu me senti protegido, aprendi a adorar o Fluminense. Criei imagem de que ser Fluminense é morar de frente para a praia, a imagem de que todo mundo é Fluminense. Para mim, é o clube mais carioca. Minha identificação é total. Penso na bandeira do Rio, me vêm à cabeça o encarnado, o verde e o branco. Tenho até muita simpatia pelo Flamengo, só criei bronca do Vasco. Nas vitórias, fico impossível. "Vão ter que me engolir", grito. E nos últimos anos, cada vitória tem tido um gosto mais especial. Afinal, elas têm sido escassas. Mas cada alegria que o Fluminense me dá é inesquecível. Em 84, Assis fez o gol do título em cima do Flamengo. Eu estava na cabine da TV Bandeirantes. Quem tem a gravação do jogo ouve um berro logo após o grito do locutor. Sou eu, pulando feito louco na cabine. Hoje, estarei no Salão Nobre do Fluminense mostrando o show "Jobiniando". Tom Jobim era a cara do Rio, como o Fluminense. Tem tudo a ver com a minha visão do que é o Tricolor. Vou cantar de graça, é claro. Cem anos não se faz todo dia. Através da minha arte, vou presentear meu clube.”


Vitral de Almeida
Marquês das Laranjeiras

‘O futebol brasileiro começa pelo Fluzão’
Tricolores do céu e terra! Gostei da idéia do LANCE de presentear a todos com a verdadeira história do futebol brasileiro. Sim, porque falar do Centenário Tricolor é o mesmo que falar do Brasil, pois o Fluzão sempre foi o pioneiro em tudo. Fomos os primeiros campeões cariocas. Aliás, somos os primeiros tetracampeões. Fomos o primeiro time carioca a ganhar o Rio-São Paulo (único invicto até hoje). Campeonato Brasileiro? Ganhamos em 70 e no ano seguinte mudaram de nome. Também saímos na frente. Campeão Mundial? No Rio, Só o Flu. Quem é alfabetizado sabe que o bacalhau é vice e o urubu só ganhou um amistoso, nada reconhecido pela Fifa. Temos também a Taça Olímpica. Alguém no Brasil tem? Óbvio que não. Como diria Nélson Rodrigues, quando freqüentava a minha casa:"E Laranjeiras, não se dá um passo sem tropeçar numa glória.”

Arthur Moreira Lima
Pianista e tricolor

‘O Fluminense para mim é uma catarse’

"Torço pela Seleção, mas com o Fluminense é diferente. É uma catarse, como se o time defendesse meus ideais. Em 1968, eu morava em Moscou. Sempre que ligava para o Brasil, para falar com minha mãe, havia um cara do SNI fazendo escuta de minhas ligações. Perguntei por cada membro da família. Quando perguntei como estava o Fluminense, surgiu uma voz: "Está uma porcaria, esse meio-campo não joga nada". Naquele momento, o agente deixou de ser agente e foi Fluminense. É o estado de espírito. Meu amigo maestro Laércio de Freitas costuma dizer, após suas apresentações: "Toquei SON: somente o necessário". O Fluminense joga SON. Não dá de cinco ou seis sem necessidade. Por mais que já tenha feito todo tipo de apresentação, vivi uma emoção diferente em 84. A TV Globo colocou um piano no Aterro, na véspera da decisão com o Flamengo, para que eu tocasse o hino do Flu. Fui de terno branco, com a camisa tricolor por baixo. Assim que terminei, corri para a câmera e gritei: "Nense!", de forma alucinada. No Brasileiro, na semifinal contra o Corinthians, apostei com Toquinho. Ou ele rasparia o bigode ou eu rasparia o cabelo. Até Sócrates brincou comigo, dizendo que a Fiel me esperava em São Paulo. Nós ganhamos. Em toda minha vida, jamais conheci outro time que não fosse o Fluminense. ”

8 comentários:

Nane disse...

Lindos e emocionantes depoimentos... :)
Só faltou o seu...rsrsrs...
Parabés pelo lindo trabalhos...
S.T

Natricolor disse...

hehehhe
Valeu, Nane!
Um dia eu escrevo também.
Bjos

Marcelo disse...

pow muito bom os depoimentos =)
nathi vc está fazendo um belo trabalho está e parabéns muito bom msm
bjs

Natricolor disse...

Obrigada, Marcelo!!
Continue visitando o blog. Sua presença é importante.
Bjos

Alessandro disse...

Bom saber que ainda existem pessoas que se preocupam em manter a identidade do nosso eterno FLU. Parabéns e progresso nesse trabalho.

Natricolor disse...

Obrigada, Alessandro!
Pra mim, é um prazer manter esse blog.
Saudações Tricolores

Ivânia disse...

Serei Fluminense Até Morre esse time dii guerreiro me deixa cada vez mais apaixonada por esse time ...so tenhuq ue diser que vcs são tudo ..AMU vc's

Nayla disse...

lindo os depoimentos
achei mt interessante pq cada um conta sua opniao sobre o fluminense!!!!
e sei q o fluminese sera eterno nos coraçoes tricolores
o meu (L) é tricolor desde q minha mae disse q estava gravidaa!!!